quarta-feira, 14 de julho de 2010

...Pablo....






 Pablo...tenho tantas coisas para te dizer, que nem sei por onde começar..talvez por começando por te dizer o quanto lamento se não te consegui transmitir todo o carinho, toda a admiração, todo o amor que senti e sinto por ti. Por estes quase 12 anos que me aturaste, que me acompanhaste, que me recebeste sempre de braços abertos, esfusiante, mesmo quando já estavas tão doentinho...
sempre me senti, nos sentimos todos, muito orgulhosos de ti, não só porque eras lindo, mas porque te portavas bem, eras afável com toda a gente, com todos os animais, mesmo com aqueles que te eram hostis e te queriam morder.Eras tão obediente..mesmo quando já não ouvias tinhas o cuidado de estar sempre a olhar para nós, para saberes o que devias fazer, perceberes o que te queriamos transmitir...sempre nos percebeste. Seguias-me para todos os lados e deitavas-te aos meus pés, como quem me diz: estou aqui, não estás sózinha.
quando saíamos ias à porta acompanhar-nos como quem diz: vai e volta, eu estou aqui à tua espera. Se iamos se férias sem ti deitavas-te triste ao pé das malas, como quem diz...vais embora sem mim. E quando nos despediamos não abanavas o rabinho nem te levantavas para nos acompanhar....
ainda sinto o teu caminhar, as tuas patinhas atrás de mim pela casa toda..tiveste sempre um ar de cãozinho pequenino, amdavas aos saltinhos e quando abanavas a cauda todo o teu grande corpinho abanava todo, como se só o teu rabinho não nos conseguisse dar a dimensão da tanta alegria que sentias ao ver-nos...
sempre deixaste os teus amigos comerem antes de ti, nunca roubaste nada, sempre foste tão gentil, tão calmo...poderiamos ir contigo até ao fim do mundo, porque sabiamos que te portarias sempre bem e estarias à altura do que esperavamos de ti. Eras um cachorro atento e discreto..sabias quando eu estava triste e vinhas lamber-me como quem diz, estou aqui...tem calma..vai passar...Creio que se contarm pelos dedos de uma mão as vezes que te ralhei...Estiveste ao meu lado até ao último dia..lamento se te falhei nalguma coisa...
foste um cão muito saudável....surpreendeu-te o pior dos males, o pior dos piores...lutaste ao nosso lado todos os dias, por mais um dia, um dia de cada vez...quatro meses, quando te davam no máximo pouco mais de 15 dias....até que nos disseste que já não podias mais...
...ajudamos-te a partir...desejamos que tenha sido no momento certo...
Obrigada Pablo...quem me dera encontrar-te um dia...ficarás para sempre no nosso coração, como uma das coisa mais belas que um dia já tivemos e que será insubstituível....

Até sempre meu Querido...












quarta-feira, 7 de julho de 2010

não gosto do calor...


não gosto do calor, não gosto mesmo!!

baixa-me a tensão... tira-me a vontade de tudo...o meu pensamento ofusca-se e ofusca-me...
sonolenta e absorta entro noutro mundo, na dormência do ontem, do atrás, daqueles fins de tarde dourados, de quando a minha mãe me mandava regar o jardim..da minha preguiça, da chatice..do ram ram...
:- Lolita, as plantas vão morrer de sede...
Sede??? tudo menos de sede...lá ia eu com as minhas sandálias de tiras de couro e fivela preteada..levaram tantas molhas e levaram-me para tantos sítios....afinal eu gostava de regar, de molhar os pés...de ver como passados alguns momentos as flores levantavam o olhar e as folhinhas engordavam e pareciam ficar mais verdes...e o cheiro a terra molhada..molhada e quente..inesquecível....o cheiro das flores, da erva fresca, da alfazema...já os pardalitos procuravam o ninho para dormir...Pirolito!! sai da minha volta, vais ficar todo molhado e depois a Mamã não te deixa entrar!!!
...depois o banho, naquela altura não havia necessidade de aquecer a água...saía quente do depósito..era uma questão de o encher de manhã..bem cedo...a Júlia começava a trabalhar às sete e era às sete que ia dar à bomba para encher os depósitos...qual motor... qual quê???? era boa aquela água, nem quente nem fria....lembro-me de olhar para cima e ver o chuveiro niquelado, preso à parede, lá no alto, os furos eram repuxados para fora... : - tem cuidado para não molhares o chão!!!
...o sabonete era de sedas para o cabelo e de lavanda para o resto..
: - n te esqueças do limão no fim para ficares com o cabelo mais brilhante. Faz bem.
: já tomaste?? seca-te bem! embrulha-me essa cabeça!!veste o robe e calça as pantufinhas, não apanhes frio, senão amanhã estás doente da garganta!! - vê se o chão está molhado...
...um sem fim de recomendações...que aborrecido..todos os dias o mesmo eu já sabia tudo de cor e salteado....
:-Olha!! estás a andar descalça!! ....era tão bom... - amanhã estás doente...
:- embrulha-me essa cabeça na toalha, pus-ta mesmo ao teu lado!! todos os dias tenho de te repetir o mesmo, valha-nos Deus...
:- deixaste o chão todo molhado..nunca tens cuidado...vai buscar o pano do chão e vê bem para não escorregares...olha o que aconteceu à tua prima...
:- veste a camisa de noite  e  o robe branco... vamos jantar na varanda e começa a levantar-se um ventinho..é bom, mas convém não abusares...
...já estava sentada à mesa..naquele tempo os cheiros eram puros..cheirava a comida saborosa e quando passavamos pela fruta ela cheirava...cheirava muito e bem...
:- esqueceste-te de te pentear...que cabecinha essa..falta-te sempre qualquer coisa...
...lá ia eu outra vez para a casa de banho..aproveitava e dava uma vista de olhos..a toalha tinha de ficar bem estendida para estar seca no dia seguinte, o sabonete e a saboneteira limpo e de maneira a ficar seco senão amolecia e estragava-se..
:- não se pode andar sempre a comprar sabonetes, são caros, toma atenção..quando fores grande vais perceber melhor todas estas minhas chamadas de atenção.
...que boa era aquela sopa de vagens e cenourinha miudinha...e aqueles pedacinhos de pão torradinho...
...e aquele guisado de batatinhas com ervilhas, mais cenourinha, couvinha e carne..
...e aqueles moranguinhos pequenininhos e vermelhinhos que eu mesma apanhava do quintal e que os passarinhos teimavam em debicar...está debicado, já não quero!!
:- corta-se esse bocadinho...se está debicado é porque os passarinhos acharam que estava bom, eles sabem melhor que nós!!!

...ficavamos ali até desaparecerem os últimos raios de sol e aparecerem as estrelas..eram tantas!!!..
:- vai apagar a luz, se fazes favor...por causa dos mosquitos e das borboletas castanhas...vou acender uma vela para os afastar...
:- estás a ver os pontinhos de luz lá fora?? são os pirilampos!! ollha os grilos começaram a cantar...gosto de os ouvir lá fora quando não durmo, fazem-me companhia...
:- são quase 10 horas, temos de ir para a cama - vamos ouvir o Teatro Radiofónico, ou será que hoje é dia das"Lendas da Nossa Terra"???? , vem comigo, depois vais para a tua cama, está bem??
...muitas vezes acordava na cama de minha mãe....raramente devo ter acabado de ouvir o Teatro Radiofónico ou as "Lendas da Nossa Terra"...algumas metiam medo..até tapava os ouvidos...a música do começo era tétrica... Mamã...deixa-me ficar aqui contigo!!...

:- Lolita, senta-te e toma o teu pequeno almoço, mas tem cuidado para não sujares a cama....vinha sempre acompanhado do passar-me a mão pela testa e os cabelos... podia ter febre? e daquele beijinho suave, doce e baixinho....


...queria de volta aquele calor daqueles verões..daquele tudo....
....afinal acho melhor aproveitar este d' agora...para me fazer adormentar e fazer recordar...

... pensando melhor acho que afinal até gosto ...




Ana!! olha para mim! :)